Pesquisar neste blogue

Número total de visualizações de página

domingo, 23 de dezembro de 2012

Bosão de Higgs é descoberta do ano para a 'Science'


Bosão de Higgs é descoberta do ano para a 'Science'

A observação de uma partícula subatómica que se admite ser o bosão de Higgs foi considerada a descoberta científica mais importante de 2012 pela revista 'Science', que hoje avança com uma lista das dez maiores conquistas da ciência.
Esta partícula, cuja existência foi concebida pela primeira vez há mais de 40 anos, é a chave para explicar como é que as outras partículas elementares (que não são compostas de outras partículas mais pequenas), como os eletrões e os quarks, têm massa.
Os investigadores anunciaram a descoberta do bosão de Higgs a 04 de julho, apresentando assim a peça que faltava ao puzzle daquilo que os físicos chamam o "Modelo Padrão", a teoria em que assenta toda a física de partículas elementares, que tenta explicar a origem e o funcionamento do universo.
A existência do bosão que confere massa às outras partículas foi originalmente postulada em 1964 pelo físico escocês Peter Higgs, mas foram precisos 48 anos para que fosse mais do que o produto de uma mente brilhante. Nenhuma das outras partículas elementares foi tão esquiva.
Como explica Adrien Cho, o jornalista da 'Science' que escreveu sobre a descoberta na edição de hoje, é matematicamente impossível atribuir massa às partículas. "A massa deve, de alguma forma, emergir das interações das partículas entre si e é aí que entra o Higgs".
Os físicos assumem, acrescenta o jornalista, que o espaço está cheio de um "campo Higgs", semelhante a um campo elétrico e as partículas interagem com ele para obter energia e massa.