Pesquisar neste blogue

Número total de visualizações de página

segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

Português identifica nova espécie de dinossauro


A nova espécie de dinossauro


Octávio Mateus estudou fósseis descobertos em 1991 no Wyoming, Estados Unidos
O paleontólogo português Octávio Mateus, da Faculdade de Ciência e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa e do Museu da Lourinhã, identificou mais uma espécie de dinossauro, juntando o novo Kaatedocus siberi, como lhe chamou, ao seu rol de descobertas de novas espécies e géneros de dinossauros, que se elevam já a quase duas dezenas.
Kaatedocus siberi foi identificado a partir de fósseis do crânio e do pescoço que uma equipa de paleontólogos suíços descobriu em 1991 numa jazida do Wyoming, nos Estados Unidos. Octávio Mateus e o suíço Emanuel Tschopp, a fazer doutoramento sob sua orientação na Universidade Nova de Lisboa são há muito colaboradores do Sauriermuseum Aathal, na Suíça, onde os fósseis se encontram, e acabaram por ser eles a fazer o estudo que conduziu à identificação da nova espécie.
Kaatedocus siberi, que viveu há 150 milhões de anos, talvez um pouco mais, conta uma parte da história da evolução dos saurópodes, a que pertence a espécie. Ele é anterior às outras espécies já conhecidas do seu género - os dinossauros de pescoço comprido - e vem confirmar pela primeira vez, para estes dinossauros, que a dimensão dos animais aumentou ao longo da evolução.
"Esta espécie tinha 12 metros de comprimento, da cabeça à ponta da cauda, o que é relativamente pequeno", afirmou ao DN Octávio Mateus, sublinhando que outras espécies posteriores deste género, como o Dinheirossaurus lourinhanensis, descoberto na Lourinhã, no anos 80 dos século passado, eram maiores. "A espécie portuguesa, por exemplo, atingia os 25 metros", afirmou o paleontólogo.