Pesquisar neste blogue

Número total de visualizações de página

terça-feira, 30 de outubro de 2012

Sandy

Imagens de satélite registradas na segunda-feira mostram que a extensão da super tempestade Frankenstorm, provocada pelo furacão Sandy, é superior a 1500 km de comprimento e se estende até o norte dos Grandes Lagos, já no Canadá. O furacão entrou ontem na costa leste dos EUA com ventos superiores a 130 km/h.
Imagem de Satelite Furacao Sandy


Imagens feitas pelo satélite de sensoriamento SUOMI, da NASA, mostram o enorme raio de atuação de Frankenstorm, uma enorme tempestade criada pela fusão de três sistemas meteorológicos diferentes sobre os EUA. As cenas mostram a gigantesca área de instabilidade que se formou durante o choque e que provocou precipitações de mais de 300 milímetros de chuva nas áreas costeiras e cerca de 1 metro de neve nas montanhas Apalaches.

Nas áreas costeiras, o efeito da tempestade foi amplificado ainda mais devido à presença da Lua Cheia, que elevou as marés altas. Em Nova York e Nova Jersey, cidades fortemente castigadas pela tormenta, a maré alta superou a marca de 3 metros acima do nível normal e provocou diversos alagamentos, principalmente em áreas próximas da costa.

De acordo com fontes oficiais, 16 pessoas morreram nos EUA e 1 pessoa no Canadá, mas esse número poderia ter sido muito maior se não fossem as medidas preventivas adotadas pela Defesa Civil e prefeituras locais. Em Nova York, o prefeito ordenou a evacuação de quase 400 mil pessoas das áreas litorâneas, que foram severamente atingidas. Em sua passagem pelo Caribe Sandy deixou 61 mortos.

As imagens de satélite mostram que Sandy tocou a costa leste americana na altura de Nova Jersey no início da noite de segunda-feira. Os intensos temporais e rajadas de ventos superiores a 150 km/h, deixando mais de 7 milhões de pessoas sem energia elétrica em 13 estados. Em Nova York, 260 pacientes precisaram sair às pressas de um hospital depois que o sistema de geradores de emergência falhou.


Tempestade Perfeita
Sandy era um típico furacão formado sobre as águas quentes do Atlântico e deveria seguir seu caminho normalmente em sentido nordeste até se dissipar na altura da costa do Canadá. No entanto, uma zona de alta pressão estacionada no Atlântico norte impediu que a tormenta seguisse seu caminho, forçando-a em direção oeste rumo à costa leste dos EUA.