Pesquisar neste blogue

Número total de visualizações de página

quarta-feira, 29 de maio de 2013

Pais da 'partícula de Deus' ganham Príncipe Astúrias


Os físicos Peter Higgs e François Englert

Fotografia © Denis Balibouse/ Arquivo Reuters
Os físicos Peter Higgs e François Englert, que formularam a existência da "partícula de deus", e o CERN, que confirmou a sua existência, foram galardoados com o Prémio Príncipe de Astúrias de Investigação Científica e Técnica.
O galardão reconhece assim o trabalho na descoberta da partícula subatómica na origem da massa de outras partículas.
Por um lado, Englert, com o físico belga Robert Brout (já falecido), e Higgs, pelo seu lado, propuseram em 1964, ao mesmo tempo e de forma independente, a existência do que ficou conhecido como o bosão de Higgs ou a dita "partícula de Deus".
Quase cinquenta anos depois, o Centro Europeu de Física de Partículas (CERN) anunciou em julho passado a confirmação experimental de que o bosão existe.
A 4 de julho do ano passado o CERN anunciou a descoberta da nova partícula que afirmava poder ser o bosão de Higgs, conhecido como a "partícula de Deus", porque confere ordem e massa ao universo.
O bosão de Higgs combina duas forças da natureza e mostra que são, de facto, aspetos diferentes de uma mesma força maior, sendo que esta partícula é a responsável pela existência de massa nas partículas elementares.